A doença periodontal é uma doença que se característica como um conjunto de condições inflamatórias, de carater crônico, e de origem bacteriana, que começa afetando o tecido gengival e pode levar, com o tempo, à perda dos tecidos de suporte dos dentes.

Trata-se de uma patologia oral que atinge metade dos adultos, ou seja, neste exato momento, cerca de 50% dos adultos apresenta algum problema periodontal, seja ele de leve, médio ou de alto grau.

Os microrganismos responsáveis por esses eventos estão presentes na placa bacteriana dental. A doença periodontal pode comprometer tanto os tecidos de suporte (gengiva) como os de sustentação (cemento, ligamento periodontal e osso) dos dentes.

Este processo caracteriza-se pela perda de inserção do ligamento periodontal e com a consequente destruição dos tecidos ósseos adjacentes. A continuidade e evolução deste processo levará à perda dos dentes, devido ao acúmulo de tártaro, à inflamação destas estruturas, com seu comprometimento e destruição, pela ação bacteriana, colaborando para a formação de bolsas periodontais que levam à mobilidade dentária. A doença periodontal tem o seu desenvolvimento mais acelerado em pacientes diabéticos, imunossuprimidos e em fumantes.

A gengiva saudável é firme, cor de rosa coral, não sangra facilmente e cobre toda a raiz do dente. Os dentes estão bem presos e o osso de suporte e as fibras do ligamento (que unem o dente, a gengiva e o osso de suporte) estão saudáveis.

Aliado ao exame clínico visual, o principal exame para detectar a presença da doença periodontal é a sondagem periodontal, feita com um instrumento específico, a sonda periodontal.

Quando a sondagem periodontal revelar perdas ósseas, formando as bolsas periodontais, é comum que radiografias odontológicas sejam solicitadas, para auxiliar o diagnóstico e avaliar a extensão da doença periodontal.

Grupos de Risco

Os mais propensos a desenvolverem a doença são:

  • Portadores de diabetes;
  • Fumantes;
  • Indivíduos que possuem uma má higienização bucal;
  • Pessoas geneticamente suscetíveis às bactérias;
  • Portadores de HIV/AIDS;
  • Gestantes;
  • Adolescentes;
  • Desnutridos;
  • Pessoas no tratamento de câncer;
  • Depressivos;
  • Qualquer pessoa com doenças que influenciam no sistema imunológico.
  • Má oclusão;
  • Tártaro;
  • Ausência de restaurações;
  • Baixa produção de saliva;
  • Uso contínuo de cigarros e álcool;
  • Exposição a metais pesados (chumbo e bismuto, por exemplo).

Os sintomas comumente relatados são:

  • Aftas;
  • Tártaro;
  • Mau hálito;
  • Sangramento durante a escovação e uso do fio dental;
  • Recuo das gengivas, dando a impressão de dentes mais compridos;
  • Mobilidade do dente (dentes moles);
  • Gosto azedo na boca;
  • Textura da gengiva lisa e brilhante;
  • Alterações na mordida;
  • Vermelhidão na gengiva;
  • Pus entre a gengiva e o dente;
  • Abscessos ao redor do dente.

 

A prevenção é o melhor tratamento contra a doença periodontal. Para tratar os problemas bucais antes de serem graves, é bom desenvolver o hábito de revisar diariamente nossa boca como parte da rotina de cuidado bucal geral.  Verifique se há mudanças na cor e aparência dos dentes, gengivas, língua e tecido gengival.

Muitas pessoas com doença leve das gengivas não têm sintomas, mas se você perceber algo diferente na boca ou dentes, deve consultar com seu dentista. Alguns sintomas da doença periodontal são a sensibilidade dental, dor ao mastigar, sangramento e avermelhamento das gengivas, e mau hálito.

Se realmente tiver doença periodontal o tratamento poderá variar, dependendo da gravidade da infecção. O tratamento para a doença grave das gengivas poderia implicar um procedimento de limpeza profunda chamado de raspagem e alisamento radicular, no qual o dentista retira o tártaro, tanto por debaixo quanto por cima da linha das gengivas, e alisa os pontos rugosos sobre as raízes dos dentes, onde há acumulação de bactérias que ocasionam a placa.

Siga as instruções de seu dentista para manter um cuidado bucal em casa, que lhe permita tirar o maior benefício do seu tratamento contra a doença periodontal. Isto é, escovar os dentes três vezes por dia e usar o fio dental diariamente, além de visitar a seu dentista regularmente para um acompanhamento e limpeza profissionais. Se não puder manter uma rotina de cuidado bucal, peça para seu dentista que lhe recomende produtos que possam facilita-la, tais como escovas de dentes elétricas, ou fios dentais previamente medidos.

 

       

Maiores dúvidas entre em contato pelo Whatsapp:

   (91) 98152-8805