Nos anos mais recentes, os piercings na região da boca (na língua, nos lábios ou nas bochechas) têm se tornado uma forma de expressão individual. Como o piercing na orelha, os brincos e anéis de metal colocados na boca são de diferentes estilos e compreendem peças como pinos, tarraxas e argolas. Mas o piercing colocado na língua, lábios ou bochechas envolvem riscos maiores do que os colocados na orelha. Antes de perfurar qualquer parte, dentro ou fora da boca, converse com seu dentista.

RISCOS:

  • Infecção — A boca contém milhões de bactérias que podem causar infeções depois de um piercing oral. Tocar as partes de metal depois de colocados na boca também torna maior o risco de se contrair uma infecção.
  • Sangramento prolongado — Caso um vaso sangüíneo seja perfurado pela agulha durante o procedimento de colocação, pode haver um sangramento difícil de ser controlado com perda excessiva de sangue.
  • Dor e inchaço — São sintomas comuns de piercing na boca. Em casos mais sérios, se a língua inchar demais, poderá fechar a passagem de ar e dificultar a respiração..
  • Dentes danificados — contact O contato com a jóia pode danificar o dente. Dentes com restaurações – por exemplo, coroas ou jaquetas – também podem ser danificados pelas peças de metal.
  • Ferimento na gengiva — As peças de metal não só podem ferir o tecido da gengiva que é sensível, mas também podem causar retração gengival. A retração gengival tem aparência desagradável e torna seus dentes mais vulneráveis a cáries e a periodontite.
  • Interferência com a função normal da boca — As jóias aumentam a produção de saliva, impedindo que você pronuncie corretamente as palavras e também dificultam a mastigação.
  • Doenças transmissíveis pelo sangue — O piercing da boca foi identificado pelo Instituto Nacional de Saúde como uma possível forma de transmissão da hepatite B, C, D e G.
  • Endocardite — O piercing oral pode causar endocardite, que é a inflamação das válvulas e dos tecidos cardíacos. A ferida causada pela perfuração dá às bactérias da boca a oportunidade de entrar na corrente sangüínea, podendo chegar ao coração.

CUIDADOS:

      

 

Escolha um lugar seguro e com um profissional experiente. Os estúdios de piercing e tatuagem costumam receber visitas regulares da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que especifica várias normas técnicas obrigatórias e, dependendo das circunstâncias, pode punir os estabelecimentos que não as cumprem. Procure fazer visitas e observar alguns critérios de higiene, como:

– O estúdio deve ter móveis limpos e conservados e os materiais não descartáveis, como pinça e tesouras, devem ter passado pela autoclave, equipamento de esterilização;

– Para descobrir isso, repare se esses equipamentos foram retirados de um envelope que são colocados para fazer a esterilização.

– Materiais como agulhas e luvas devem ser descartáveis. Observe se o profissional joga tudo no lixo após a utilização.

Nem sempre é o piercing mais bonito e colorido que vale. É preciso ficar de olho no material. Os mais adequados são de aço cirúrgico, titânio e ouro branco, por oferecerem menos chances de uma infecção. Por isso, na hora da compra, desconfie dos preços super acessíveis, pois pode ser feito de material inapropriado e, com o tempo, pode até enferrujar. Cada parte do corpo furado exige um tipo específico de joia, é importante obedecer sempre as recomendações do profissional antes de escolher seu acessório.

 

Cuidados após a colocação do seu piercing

Um dos principais cuidados é ter uma alimentação diferenciada. É bom evitar qualquer tipo de alimento gorduroso durante um mês, principalmente carne de porco e ovo, pois dificultam a cicatrização. Já os alimentos e bebidas frias ajudam a minimizar o inchaço e a sensibilidade do local.

A limpeza da peça também é primordial. Pelo menos uma vez por dia você deve realizar uma limpeza simples e eficaz com água e sabão no piercing para manter o furo longe de sujeiras e bactérias. Uma boa e completa higiene bucal é essencial para a cicatrização. Um spray anti-séptico no local também ajuda, mas o número de vezes depende do local do piercing e do tipo de medicamento. Por isso, é importante a indicação de um dentista ou dermatologista.

Quanto tempo posso usar o piercing?

Se você não contrair nenhuma infecção e seus piercings orais não interferirem com as funções normais da boca, podem ser usados de forma permanente. Mas, não deixe de ir ao dentista se sentir qualquer tipo de dor ou algum outro problema. Por causa dos riscos envolvidos mesmo depois que a ferida da perfuração desaparece (como é o caso de engolir peças soltas ou danificar os dentes), a melhor coisa é não fazer piercing oral.

 

                     

 

Ainda está com alguma dúvida? Me chame no Whatsapp:

   (91) 99152-8805