Estudos comprovam que o estilo de vida influencia diretamente na saúde do corpo e, consequentemente, na saúde da boca. Seguindo essa linha, a dieta de uma pessoa tem efeito sobre a estrutura de seu dente, que, quanto mais bem formados, mais resistentes às doenças.

 A má alimentação por falta de ingestão de alimentos ricos em vitamina D, pode favorecer o surgimento de doenças como as cardíacas, pressão alta, artrite reumatoide. A deficiência de vitamina D desempenha um papel  no diabetes 2, em doenças autoimunes como a esclerose múltipla, a pré-eclâmpsia, além de contribuir para distúrbios neuropsicológicos como a depressão e a perda de memória, ou mesmo o altismo. A vitamina D ajuda na absorção do cálcio e fósforo, substâncias importantes para a mineralização dos dentes.
Geralmente as pessoas mais propensas a desenvolverem tais doenças, por falta de vitamina D – e a por não pegarem sol com frequência – no organismo são idosos, crianças e os bebês prematuros.

A fonte para a produção de vitamina D pelo organismo é a luz solar. O indicado é se expor ao sol durante 15 a 30 minutos, dependendo do tom da pele e da recomendação médica, antes das 10h, sem protetor solar. Após essa dose de UVB, é imprescindível o uso de protetor solar.

É com esse banho de sol que a vitamina D estimula a catelicidina, um importante antimicrobiano que fortalece as defesas do organismo e reduz processos inflamatórios. Isso inclui o combate às bactérias orais associadas à cárie dentária e a periodontite.

 

Também é possível aumentar os níveis de vitamina D no organismo com o consumo de alguns alimentos, como peixes, derivados do leite, cogumelos, fígado de boi, gema de ovo e vegetais verde escuro.

Há casos em que a pessoa não possui uma alimentação adequada ou mesmo residem em locais muito frio e com pouco exposição ao sol, o que se faz necessário o uso do suplemento de vitamina D pura. Porém, seu consumo deve ser prescrito por um especialista, pois há uma dose adequada para cada pessoa, levando em consideração a idade, o local em que reside, etc. O ideal é procurar incrementar a alimentação de forma a torná-la mais ricas em vitamina D.

Sintomas de baixa concentração de vitamina D

Conheça quais são os sintomas da baixa concentração de vitamina D no organism:

  • Diminuição do cálcio e do fósforo no sangue;
  • Fraqueza muscular;
  • Tetania;
  • Moleira aberta após o 1º ano do bebê;
  • Irritabilidade, inquietação, anorexia e suor excessivo podem surgir nas crianças;
  • Osteoporose nos idosos;
  • Raquitismo;
  • Osteomalácea;
  • Pernas tortas.

Excesso de vitamina D

Assim como a falta ou a baixa presença de vitamina D no organismo é prejudicial, o excesso também não é benéfico. O excesso traz como consequência a elevação dos níveis de cálcio na corrente sanguínea. Essa elevação pode levar, por exemplo, ao desenvolvimento de pedras nos rins e arritmia cardíaca. Esse excesso somente acontece por meio de tratamentos suplementares e não com a ingestão de alimentos ricos em vitamina D.

Agora que você já conhece todos os benefícios e a importância da vitamina D para a saúde, bem como para poder fortalecer os dentes e deixá-los assim mais saudáveis e bonitos, vale a pena incluir em sua alimentação os alimentos que são ricos nesta vitamina.

       

Dúvidas pelo Whatsapp:

    (91) 98152-8805